A produção artesanal de trabalhos em cerâmica na comunidade quilombola em Alcântara (Maranhão – Brasil)

Thaylla Costa Dias, Bruna Pereira Martins, Josimar Vieira dos Reis, Carlos Eduardo Santos de Lima, Elisabeth Regina Alves Cavalcanti-Silva

Resumo


Desde o início de sua organização, os quilombos brasileiros constituíram-se em estratégias de oposição a uma estrutura escravocrata, que relegava os negros à senzala e a cultura negra a um papel incipiente na formação da identidade do país. No entanto a resistência negra esteve presente tanto na insubmissão aos poderes hegemônicos que dominavam a economia brasileira, quanto na sua forma de organização espacial em comunidades denominadas de quilombos, onde podiam exercer atividades relacionadas aos saberes ancestrais adquiridos. Por essa razão este trabalho tem por objetivo analisar o processo de produção tradicional de cerâmica na comunidade quilombola de Itamatatiua, no município de Alcântara-MA, tendo em vista que essa atividade é exercida de modo artesanal e o conhecimento é repassado há séculos de pais para filhos. O trabalho demonstrou, a partir de fotos e entrevistas realizadas na comunidade, que a tradição da produção de cerâmica na região deve continuar a ser repassada e que essa ainda é uma atividade muito importante para a subsistência das famílias presentes na área.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


IPHAN. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/345. Acesso em 07/04/2018

MUNANGA, K.; GOMES, N. L. O Negro no Brasil de Hoje. São Paulo, Editora Global, 2006.

NORONHA, R. Identidade é valor: as cadeias produtivas do artesanato de Alcântara. São Luís: Edufma, 2011.

NORONHA, R. G. Era uma vez no quilombo: narrativas sobre turismo, autenticidade e tradição entre artesãs de Alcântara (MA). Textos escolhidos de cultura e arte populares, Rio de Janeiro, v.12, n.1, p. 43-60, mai. 2015.

OOSTERBEE, K. L.; REIS, M. G. O. Terra de preto em terras da santa: Itamatatiua e as suas dinâmicas quilombolas. Cad. Pesq., São Luís, v.19, n.01, jan./abr. 2012.

SANTOS, J. B. dos. Relações de Gênero e Produção de Cerâmica na Comunidade Quilombola da Olaria, em Irará-Bahia. Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v.1, n.1, p.134-147, jan. / jul. 2010.

SILVA, J. M. S. Tecendo estórias das comunidades remanescentes de quilombolas aqui e acolá. Tese apresentada ao programa de Pós-Graduação em estudos comparados de Literatura de língua portuguesa da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Meio Ambiente (Brasil)

ISSN: 2675-3065

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn