Análise dos aspectos morfométricos de abelhas africanizadas em ambiente de Caatinga (Brasil)

Mateus Gonçalves Silva, Weliton Carlos de Andrade, Weverton Pereira de Medeiros, Guilherme Veloso da Silva, Karla Jarlita de Moura Silva, Rosilene Agra da Silva, Patrício Borges Maracajá

Resumo


Através deste projeto piloto, objetivou-se avaliar possíveis divergências morfométricas em operárias de abelhas africanizadas (Apis mellifera) provenientes de mesmo ambiente de Caatinga localizado no Alto Sertão paraibano. A análise foi desenvolvida no laboratório de abelhas da Universidade Federal de Campina Grande, e compreendeu os parâmetros: comprimento do inseto (CI), largura (LI), patas posteriores (PP), asas anteriores (AA), asas posteriores (AP) e peso do inseto (PI). Como estudo prévio, a amostragem ao todo foi através da avalição morfométrica de 25 abelhas, pertencentes à 5 diferentes colmeias, e o delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, com esquema fatorial 5x5. Os dados obtidos foram submetidos a análise estatística pelo teste F e a comparação das médias pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Comprovou-se que não houve diferenças morfométricas significativas entre os grupos de abelhas avaliados, ficando evidente a não existência de extensa variabilidade gênica entre as populações de abelhas contidas no mesmo ambiente/apiário, o que indica uma padronização genética das colmeias. Estudos mais avançados sobre análise molecular podem refinar ainda mais os resultados, e possibilitar a detecção de ecotipos de abelhas distintos.


Palavras-chave


Apis mellifera, morfometria, variabilidade morfológica.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Akatsu, I. P. (1999). Influência da largura do tórax de operárias de Apis mellifera scutellata Lepeletier, 1836 (Hymenoptera: Apidae) sobre um modelo de coletor de pólen instalado em colmeias de município de Mandirituba-PR. Monografia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.

Almeida, A. S.; Silva, M. P. N. S.; Leite, Z. V. (2011). Atividade apícolas na comunidade de riacho dos currais do município de São Bentinho – PB – Brasil. Informativo Técnico do Semiárido, 4(1), 25-7.

Andrade, J. G.; Silva, M. G.; Oliveira Filho, F. S. & Feitosa, S. S. (2020). Diagnóstico das técnicas de produção e armazenamento de sementes crioulas em assentamentos rurais de Aparecida, Paraíba, Brasil. Research, Society and Development, 9(5), e130953147.

Batista, V.S.P., Fernandes, F.A., Cordeiro-Estrela, P., Sarquis, O. & Lima, M.M. (2013). Ecotope effect in Triatoma brasiliensis (Hemiptera: Reduviidae) suggests phenotypic plasticity rather than adaptation. Medical and Veterinary Entomology, 27, 247-254.

Carvalho, R. G. (2010). Apis mellifera: reprodução, polinização e produção de mel. Trabalho de Conclusão de Curso, Faculdades Integradas de Fafibe, Bebedouro, SP, Brasil.

Costa, P. S. C. & Oliveira, J. S. (2005). Manual Prático de Criação de Abelhas. Viçosa-MG. Ed. Aprenda Fácil. 424p.

Debat, V., Bégin, M., Legout, H. & David, J.R. (2003). Allometric and nonallometric components of Drosophila wing shape respond differently to developmental temperature. Evolution, 57, 2773-2784.

Francoy, T. M.; Wittmann, D.; Drauschke, M.; Muller, S.; Steinhage, V.; Bezerra-Laure, M. A. F.; Jong, D. D. & Gonçalves, L. S. (2008). Identification of Africanized honey bees through wing morphometrics: Two fast and efficient procedures. Apidologie, 39, 488-494.

Jorge, L.R., Cordeiro-Estrela, P., Klaczko, L.B., Moreira, G.R.P. & Freitas, A.V.L. (2011). Host-plant dependent wing phenotypic variation in the neotropical butterfly Heliconius erato. Biological Journal of the Linnean Society, 102, 765-774.

Moretti, C. J. (2014). Dinâmica populacional em populações de abelhas Africanizadas (Apis mellifera L.) no Nordeste brasileiro. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

Moretti, C. J.; Costa, C. P. & Francoy, T. M. (2018). Wing morphometrics reveals the migration patterns of Africanized honey bees in Northeast Brazil. Sociobiology, 65(4), 679-685.

Nogueira-Couto, R. H.; Couto, L. A. (2002). Apicultura: manejo e produtos. Jaboticabal: FUNEP. 191 p.

Nunes, L. A.; Pinto, M. F. F. C.; Carneiro, P.; Pereira, D. G. & Waldschmidt, A. M. (2007). Divergência genética em Melipona scutellaris Latreille (Hymenoptera: Apidae) com base em caracteres morfológicos. Bioscience Journal, 23(1), 1-9.

Pereira, A. S.; Shitsuka, D. M.; Parreira, F. J.; Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria-RS. Ed. UAB/NTE/UFSM. 119p.

Ramos, J. M. & Carvalho, N. C. (2007). Estudo morfológico e biológico das fases de desenvolvimento de Apis mellifera. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, 6(10), 1-21.

Santos, E.; Matos, H.; Alvarenga, J. & Sales, M. C. L. (2012). A seca no Nordeste no ano de 2012: relato sobre a estiagem na região e o exemplo de prática de convivência com o semiário no distrito de Iguaçu/Canindé-CE. Revista Geonorte, 1(5), 819-830.

Silva, D. P.; Silva, C. A. L.; Pinto, M. S. C.; Silva, K. B.; Silva, R. A.; Maracajá, P. B.; Targino, L. C. & Sousa, N. A. (2014). Diagnóstico socioeconômico, ambiental e produtivo da atividade apícola em municípios da microrregião de Catolé do Rocha-PB. Revista Verde, 9(3),213-222.

Silva, M. G.; Dantas, M. C. A. M.; Moreira, J. N.; Andrade, W. C. & Gomes, M. S. (2019). Perfil dos criadores de Apis mellifera no município de Aparecida, Paraíba. Acta Apicola Brasilica, 6(1), 01-05.

Snodgrass, R. E. (1956). Anatomy of the honey bee. Ithaca: Comstock Pub. Associates, 334 p.

Sousa, L. C. F. S.; Arnaud, E. R.; Borges, M. G. B.; Fernandes, A. A.; Oliveira, A. V. B.; Lima, C. J.; Silveira, D. C.; Albuquerque Neto, F. A.; Aquino, J. T.; Sousa, J. S.; Schmidt Filho, R.; Silva, R. A. & Maracajá, P. B. (2012). Cadeia produtiva da apicultura: COOAPIL-cooperativa da micro-região de Catolé do Rocha- PB. Informativo Técnico do Semiárido, 5(1),16-24.

Sousa, M. N. A.; Bezerra, A. L. D.; Suárez, L. A. B.; Brasil, M. G. F.; Medeiros, A. C. & Maracajá, P. B. (2019). Análise FFOA das associações de apicultores do sertão da Paraíba. Revista Brasileira de Gestão Ambiental, 13(1), 01-11.

Souza, D. C.; Cruz, C. D.; Campos, L. A. O. & Regazzi, A. J. (2002). Correlation between honey production and some morphological traits in africanized honey bees (Apis mellifera). Ciência Rural, 32, 869-872.

Souza, D. L.; Evangelista-Rodrigues, A.; Ribeiro, M. N.; Álvarez, F. P.; Farias, E. S. L. & Pereira, W. E. (2009). Análises morfométricas entre Apis mellifera da mesorregião do Sertão paraibano. Arch. Zootec. 58, 65-71.

Yapalucci, G. A. P. (2001). Efeito do tamanho da célula do favo de cria sobre a variabilidade morfológica de abelhas africanizadas (Apis mellifera) e sobre a infestação do ácaro Varroa jacobsoni. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Mateus Gonçalves Silva, Weliton Carlos de Andrade, Weverton Pereira de Medeiros, Guilherme Veloso da Silva, Karla Jarlita de Moura Silva, Rosilene Agra da Silva, Patrício Borges Maracajá

ISSN: 2675-3065

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn