Análise da dinâmica agropecuária (1996-2017) do município de Dois Riachos, Alagoas (Brasil)

Paulo Henrique de Almeida Cartaxo, Laysa Gabryella de Souza Laurentino, Heloísa Martins de Araújo, Letícia Barbosa de Lacerda, Kennedy Santos Gonzaga, Adriana da Silva Santos, João Paulo de Oliveira Santos

Resumo


O Semiárido brasileiro se caracteriza pela presença de uma pecuária extensiva paralela a uma exploração agrícola em regime de sequeiro. Historicamente, essa região é assolada por secas cíclicas que além de trazerem impactos na agropecuária, como a perda de animais e lavouras, contribuem para elevar diversos outros problemas de ordem ambiental e social. Nesse sentido, objetivou-se nesse estudo avaliar o comportamento da produção agropecuária do município de Dois Riachos, Alagoas, durante o período de 1996 a 2017, servindo como base para discussão de futuras ações de recuperação e incentivo desse setor. Os dados de produção agropecuária foram extraídos dos Censos Agropecuários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), abrangendo suas três últimas edições (1996, 2006 e 2017). No município de Dois Riachos, a maioria das propriedades apresentam pequeno porte. Em 1996, 87,75 % dos estabelecimentos agropecuários possuíam menos de 10 hectares. A criação de bovinos e aves apresentam grande relevância para o município, embora ambos tenha apresentado redução temporal em seus rebanhos. Os resultados também evidenciam  o feijão e milho como as principais culturas agrícolas de Dois Riachos. Observou-se queda acentuada no quantitativo das principais variáveis produtivas analisadas, assim como um baixo grau de tecnificação empregado localmente no setor agropecuário. Diante da importância desse segmento para a economia desse município, é necessário que ações sejam tomadas pelos agentes públicos visando o aquecimento e recuperação desse setor, principalmente as pautadas em tecnologias de convivência com a seca.


Palavras-chave


Agricultura de sequeiro; Produção agrícola; Semiárido brasileiro.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Aquino, R. S., Lemos, C. G., Alencar, C. A., Silva, E. G., Silva Lima, R., Gomes, J. A. F., & Silva, A. F. (2016). A realidade da caprinocultura e ovinocultura no semiárido brasileiro: um retrato do sertão do Araripe, Pernambuco. PUBVET, 10(4), 271-281.

Azevedo, S. C. D., Cardim, G. P., Puga, F., Singh, R. P., & Silva, E. A. D. (2018). Analysis of the 2012-2016 drought in the northeast Brazil and its impacts on the Sobradinho water reservoir. Remote Sensing Letters, 9(5), 438-446.

Batista, M. C., Santos, J. P. O., Silva Filho, J. A., Sousa, J. Í., Félix, R. J. F., & Silva, J. L. C. (2018). Influence of rainfall variability on bean production (Phaseolus vulgaris L.) in a municipality of Brazilian semiarid. Journal of Environmental Analysis and Progress, 3(1), 001-007.

Campos, F. S., Gois, G. C., Vicente, S. L. A., Macedo, A., & Matias, A. G. S. (2017). Alternativa de forragem para caprinos e ovinos criados no semiárido. Nutri Time, 14(2), 5004-5013.

Casagrande, A. E., & Souza, E. B. C. (2012). O espaço e a demografia: o planejamento regional em perspectiva nas margens paranaenses do Lago de Itaipu. Sociedade e Território, 24(1), 2-27.

Coutinho, M. J. F., Carneiro, M. S. C., Edvan, R. L., & Pinto, A. P. (2013). A pecuária como atividade estabilizadora no Semiárido Brasileiro. Veterinária e Zootecnia, 20(3), 09-17.

Cprm. Serviço Geológico do Brasil (2005). Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. Diagnóstico do município de Dois Riachos, estado de Alagoas. Recife: CPRM/PRODEEM, 20 p.

Galvão Júnior, J. G. B., Silva, J. B. A., Morais, J. H. G., & de Lima, R. N. (2014). Palma forrageira na alimentação de ruminantes: cultivo e utilização. Acta Veterinaria Brasilica, 8(2), 78-85.

Ibge. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). Infográficos. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/al/doisriachos. Acesso em 11 de abril de 2019.

Koppen, W. (1936). Dasa geographi SC system der klimate. In: Koppen. W.; Geiger, R. Handbuch der klimatologia. Berlim: Gerdrulier Borntraeger, v.1, Part c, 1936. 44p.

Lindoso, D., Eiró, F., & Rocha, J. D. (2013). Desenvolvimento sustentável, adaptação e vulnerabilidade à mudança climática no Semiárido nordestino: Um estudo de caso no Sertão do São Francisco. Revista Econômica do Nordeste, 44, 301-332.

Marengo, J. A., & Bernasconi, M. (2015). Regional differences in aridity/drought conditions over Northeast Brazil: present state and future projections. Climatic Change, 129(1-2), 103-115.

Marengo, J. A., Torres, R. R., & Alves, L. M. (2017). Drought in Northeast Brazil—past, present, and future. Theoretical and Applied Climatology, 129(3-4), 1189-1200.

Moraes, G.S.O., Guim, A., Tabosa, J.N., Chagas, J.C.C., Almeida, M. P., & Ferreira, M. A. (2019). Cactus [Opuntia stricta (Haw.) Haw] cladodes and corn silage: How do we maximize the performance of lactating dairy cows reared in semiarid regions? Livestock Science, 221, 133-138.

Nogueira, D., & Aragão, M. C. O. (2016). A pecuária leiteira bovina no município de Olivença-AL: o contexto socioeconômico dos produtores. Diversitas Journal, 1(1), 94-99.

Pereira, G. R., & Cuellar, M. D. Z. (2015). Conflitos pela água em tempos de seca no Baixo Jaguaribe, Estado do Ceará. Estudos Avançados, 29(84), 115-137.

Rossato, L., Alvalá, R. C., Marengo, J. A., Zeri, M., Cunha, A. P., Pires, L., & Barbosa, H. A. (2017). Impact of soil moisture on crop yields over Brazilian semiarid. Frontiers in Environmental Science, 5(73), 1-16.

Sá, I. B., Cunha, T. J. F., Taura, T. A., & Drumond, M. A. (2015). Mapeamento da desertificação da região de desenvolvimento Sertão do São Francisco com base na cobertura vegetal e nas classes de solos. Revista Brasileira de Geografia Física, 08, 510-524.

Santos, D. D., Silva, M. C., Dubeux Júnior, J., Lira, M. D. A., & Silva, R. M. (2014). Estratégias para uso de cactáceas em zonas semiáridas: novas cultivares e uso sustentável das espécies nativas. Revista Científica de Produção Animal, 15(2), 111-121.

Santos, J. P. O, Silva Júnior, J. M., Silva Filho, J. A., Silva, J. L. C., Ribeiro, J. K. N., & de Oliveira, F. Í. F. (2017). Environmental Degradation and Risk of Desertification in Alto Sertão Region, Alagoas State, Brazil. Geama, 3(4), 191-195.

Sidra. Sistema IBGE de Recuperação Automática. (2019). Censo Agropecuário. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017. Acesso em 11 de abril de 2019.

Souza, N. G. M., Silva, J. A., Maia, J. M., Silva, J. B., Nunes Júnior, E. D. S., & Meneses, C. H. S. G. (2016). Tecnologias sociais voltadas para o desenvolvimento do Semiárido brasileiro. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management, 12(3), 1-12.

Tinôco, I. C. M., Bezerra, B. G., Lucio, P. S., & Barbosa, L. D. M. (2019). Caracterização dos padrões de precipitação no Semiárido brasileiro. Anuário do Instituto de Geociências, 41(2), 397-409.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Paulo Henrique de Almeida Cartaxo, Laysa Gabryella de Souza Laurentino, Heloísa Martins de Araújo, Letícia Barbosa de Lacerda, Kennedy Santos Gonzaga, Adriana da Silva Santos, João Paulo de Oliveira Santos

ISSN: 2675-3065

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn