Influência de diferentes níveis de reposição hídrica, salinidade e adubação nitrogenada no girassol

Alisson Macendo Amaral, Marconi Batista Teixeira, Frederico Antonio Loureiro Soares, Maria Ângela Cruz Macêdo dos Santos, Fabiano José de Campos Bastos, Adriana Magalhães Farias

Resumo


O cultivo do girassol com água salina é uma estratégia de aproveitamento de recursos hídricos de qualidade inferior, principalmente devido sua escassez. Objetivou-se nesse manuscrito, analisar a resposta da cultivar Charrua sobre a influência de diferentes regimes hídricos associados a condutividade elétrica de água de irrigação e adubação nitrogenada. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, analisados em esquema fatorial 4 x 2 x 2 com três repetições, com 4 níveis de reposição hídrica (RH) iguais a 25, 50, 75 e 100% da capacidade de água disponível no solo (Fator A); 2 níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (CEa: 0,6 e 3,0 dS m-1) para o Fator B e 2 níveis de adubação nitrogenada (DN) correspondentes a 100 e 200% da dose recomendada pela análise do solo (Fator C). Foram avaliadas a altura de planta (AP), diâmetro de caule (DC), número de folhas (NF), área foliar (AF), matéria seca de folha (MSF), matéria seca de caule (MSC), diâmetro interno de capítulo (DICAP), matéria seca de capítulo (MSCAP), massa de aquênios (MA) e produção de aquênios (PA) por planta. Verificou-se que em todas as variáveis cujo teste F foi significativo, o aumento da RH promoveu acréscimos lineares, enquanto que aumento nos níveis de CEa e DN favoreceram reduções significativas, caracterizando a sensibilidade da cultivar aos tratamentos. O DICAP não foi influenciado pelos tratamentos na colheita, porém a MA e o NA tiveram reduções de 18,74 e 20,88%, respectivamente.


Palavras-chave


Helianthus annuus L.; condutividade elétrica; produção de aquênios

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Allen, R. G., Pereira, L. S., Raes, D. (1998). Crop evapotranspiration. Rome: FAO, 297 p. (FAO Irrigation and Drainage Paper, 56).

Aquino, L. A., Silva, F. D. B., Berger, P. G. (2013). Características agronômicas e o estado nutricional de cultivares de girassol irrigado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 17(5), 551-557.

Aquino, L. A., Santos Júnior, V. C., Guerra, J. V. S., Costa, M. M. (2011). Estimativa da área foliar do girassol por método não destrutivo. Bragantia, 70 (4), 832-836.

Araújo, M. C., Esteves, B. S., Sousa, E. F. (2012). Método de dissipação térmica para determinação do fluxo de seiva em coqueiro anão-verde. Bragantia, Campinas, 71(4), 558-562.

Campos, M. S., Oliveira, F. A., Oliveira, F. R., Silva, R. C. P, Cândido, W. S. (2010). Efeito da salinidade e fontes de nitrogênio na matéria seca do girassol. Revista Verde, 5(3), 165-171.

Cruz-Blanco, P. G., Santos, C., Lorite, I. J. (2014) Assessment of reference evapotranspiration using remote sensing and forecasting tools under semi-arid conditions. International Journal of Applied Earth Observation and Geoinformation, 3, 280–289.

Curti, G. L. (2010). Caracterização de cultivares de girassol ornamental semeados em diferentes épocas no Oeste Catarinense. Dissertação Mestrado, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, PA, Brasil.

BORSUK, L. J. (2008). Cultivo de girassol sob a perspectiva da agroenergia: uma análise de produtores familiares assentados de Abelardo Luz-SC. Dissertação Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, SC, Brasil.

Dong, H. (2012) Technology and field management for controlling soil salinity effects on cotton. Australian Journal of Crop Science, 6(2), 333-341.

Dutra, C. C., Prado, E. A. F., Paim, L. R., Scalon, S. P. Q. (2012). Desenvolvimento de plantas de girassol sob diferentes condições de fornecimento de água. Semina: Ciências Agrárias, 33(1), 2657-2668.

Freitas, L. D. A., Figueirêdo, V. B., Porto Filho, F. Q., Costa, J. C. C., Cunha, E. M. (2014). Crescimento e produção do meloeiro cultivado sob diferentes níveis de salinidade e nitrogênio. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 18, 20-26.

Guedes Filho, D. H., Santos, J. B., Gheyi, H. R., Cavalcante, L. F., Farias, H. L. (2013). Biometria do girassol em função da salinidade da água de irrigação e da adubação nitrogenada. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 7(5), 277-289.

Harter L. S. H., Harter F. S., Deuner C., Meneghello G. E., Villela F. A. (2014). Salinidade e desempenho fisiológico de sementes e plântulas de morango. Horticultura Brasileira, 32(1), 80-85.

Nobre, R. G., Gheyi, H. R., Soares, L. A. A., Soares, S. S. (2012). Utilização de águas salinas e doses de adubação nitrogenada no cultivo da mamoneira cv. BRS Energia. Revista Verde, 7(2), 88-95.

Liu, Y., & Luo, Y. A. (2010). Consolidated evaluation of the FAO-56 dual crop coefficient approach using the lysimeter data in the North China Plain. Agricultural Water Management, 97, 31–40.

Maciel, M. P., Soares, T. M., Gueyi, H. R., Rezende, E. P. L., Oliveira, G. X. S. (2012). Produção de girassol ornamental com uso de águas salobras em sistema hidropônico NFT. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 16(2), 165–172.

Maldaner, I. C., Heldwein, A.B., Loose, L.H., Lucas, D. D. P., Guse, F. I., Bertoluzzi, M. P. (2009). Modelos de determinação não-destrutiva da área foliar em girassol. Ciência Rural, 39, 1356-1361.

Mantovani, E. C., Bernardo, S., Palaretti, L. F. (2009). Irrigação: princípios e métodos. Viçosa: UFV.

Morais, F. A., Gurgel, M. T., Oliveira, F. H., Mota, A. F. (2011). Influência da irrigação com água salina na cultura do girassol. Revista Ciência Agronômica, 42(2), 327-336.

Nobre, R. G., Lima, G. S., Gheyi, H. R., Lourenço, G. S., Soares, L. A. A. (2013) Emergência, crescimento e produção da mamoneira sob estresse salino e adubação nitrogenada. Revista Ciência Agronômica, 44(1), 76-85.

Nobre, R. G., Gheyi, H. R., Correia, K. G., Soares, F. A. L. S.; Andrade, L. O. (2010). Crescimento e floração do girassol sob estresse salino e adubação nitrogenada. Ciência Agronômica, 41(3), 747–754, 2010.

Novais, R. F., Neves, J. C. L., Barros, N. F. (1991). Ensaio em ambiente controlado. In: OLIVEIRA, A.J. Métodos de pesquisa em fertilidade do solo. Embrapa, 189-253.

Oliveira, F. A., Oliveira, F. R. A., Campos, M. S., Oliveira, M. K. T., Medeiros, J. F., Silva, O. M. P. (2010). Interação entre salinidade e fontes de nitrogênio no desenvolvimento inicial da cultura do girassol. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v.5(4), 479-484.

Pamponet, B. M., Oliveira, A. S., Marinho, L. B., Vellame, L. M., Paz, V. S. (2012). Efeitos das diferenças térmicas naturais na estimativa do fluxo de seiva pelo método de Granier em cacaueiro a pleno sol. Irriga, (Edição Especial), 120 – 132.

Richards, L. A. (1954). Diagnosis and improvement of saline and alkali soils. Washington D.C.: USDA. Agriculture Handbook.

Santos Júnior, J. A., Gheyi, H. R., Guedes Filho, D. H., Dias, N. S. & Soares, F. A. L. (2011). Cultivo de girassol em sistema hidropônico sob diferentes níveis de salinidade. Revista Ciência Agronômica, 42(4), 842-849.

Santos, J. F., & Grangeiro, J. I. T. (2013). Desempenho de cultivares de girassol na microrregião de Campina Grande, PB. Tecnologia e Ciência Agropecuária, 7(2), 41-47.

Silva, A. R. A., Bezerra, F. M., Freitas, C. A. S., Amorim, A. V., Carvalho, L. C. C., Pereira Filho, J. V. (2014). Coeficientes de sensibilidade ao déficit hídrico para a cultura do girassol nas condições do semiárido cearense. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 8(1), 38 - 51.

Sobrinho, S. P., Tieppo, R. C., Silva, T. J. A. (2012). Desenvolvimento inicial de plantas de girassol em condições de estresse hídrico. Enciclopédia Biosfera, 7(12), 1-12.

Souza, L. H. B., Peixoto, C. P., Silveira, P. S., Ledo, C. A. S., Lima, V. P., Santos, A. P. S. G. (2014). Características agronômicas e rendimento de girassol em diferentes épocas de semeadura e populações de plantas no recôncavo da Bahia. Bioscience Journal, 30(1), 90-100.

Travassos, K. D., Gheyi, H. R., Soares, F. A. L., Barros, H. M. M., Dias, N. S., Uyeda, C. A.; Silva, F. V. (2012). Crescimento e desenvolvimento de variedades de girassol irrigado com água salina. Irriga, (Edição Especial), 324 – 339.

Travassos, K. D., Soares, F. A. L., Gheyi, H. R., Silva, D. R. S., Nascimento, A. K. S., Dias, N. S. (2011). Produção de aquênio do girassol irrigado com água salobra. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 15(4), 371-376.

Wegehenkel, M., & Gerke, H. H. (2013). Comparison of real evapotranspiration measured by weighing lysimeters with simulations based on the Penman formula and a crop growth model. Journal of Hydrology and Hydromechanics, 61(2), 161–172.

Zhang, W. L. D., Xin, C., Tang, W., Eneji, A. E., Dong, H. (2012). Lint yield and nitrogen use efficiency of field-grown cotton vary with soil salinity and nitrogen application rate. Field Crops Research, 138, 63-70.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Alisson Macendo Amaral, Marconi Batista Teixeira, Frederico Antonio Loureiro Soares, Maria Ângela Cruz Macêdo dos Santos, Fabiano José de Campos Bastos, Adriana Magalhães Farias

ISSN: 2675-3065

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn